UPA de Crixás mostra o descaso herdado de ingerência custeada com dinheiro público

Edson Fonseca
Há 11 meses
337
17/02/2017 as 09:13

 

Foto: Rhonaldo Rhogery

O trajeto da BR-153 no Tocantins é uma vitrine de obras, elefantes brancos, públicas e privadas inacabadas custeados com recursos do governo federal e, no caso da iniciativa privada, muitas delas custeadas por política de incentivos fiscais concedidas através da Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia (Sudam) ou pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES); ou seja, são obras mal planejadas e ano após anos não só a estrutura física e equipamento, como também o dinheiro público estão sendo corroídos com o tempo, descasos e indícios de corrupção.

Inaugurada em 2012,a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Crixás, construída na gestão de ex-prefeito Silvânio Machado, seria para atender 150 pessoas por dia. Informações levantadas pela Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Crixás, na gestão seguinte (2013/2016), do ex-prefeito Gean do Abdon, a unidade recebeu uma emenda parlamentar do deputado Federal Irajá Abreu (PSD) no valor de R$ 545 mil para que pudesse ser equipada e funcionar com eficácia e eficiência. Segundo o governo Federal, as UPAs têm o objetivo de ajudar a diminuir as filas nos prontos-socorros dos hospitais, como os Regionais instalados nas principais cidades do Estado e o Geral de Palmas.

Mesmo com a chave do município,  o prefeito Ivânio Machado Rocha (PPS), diz que ainda não teve acesso ao banco de dados as informações sobre a situação da UPA, que encontra-se em estado de abandono, com equipamentos caríssimos parados e na parte física portas danificadas, janelas quebradas, dentre outras irregularidades.

Erika Ferreira Carvalho

Segundo a Gestora do Fundo Municipal de Saúde, “Erika Ferreira Carvalho”,existem várias irregularidades; mas, que já foram tomadas as providências cabíveis, como instauração de uma auditoria para levantar o material comprado, via licitação, para a UPA funcionar.

Ela informou a reportagem do Portal Atitude que esteve em Palmas e comunicou a situação para órgãos de fiscalização, como Controladoria-Geral da União (CGU), Ministério Pública da União (MPU) e Tribunal de Contas da União (TCU) que orientou a gestora a fazer um relatório com fotos, vídeos, notas fiscais pagas, extrato bancário; enfim, fazer um levantamento geral para apresentar aos órgãos para tomarem as providencias.

“Só depois que este levantamento estiver pronto que vamos saber qual será o destino da UPA”, disse a Erika Carvallho. Segundo ela dentro de 30 dais o relatório deverá está pronto.

Situação da UPA em agosto de 2015. Foto: Arquivo.

Em agosto de 2015, a então diretora administrativa da UPA, Neirijane Marinho, falou ao Portal Atitude que na época a unidade tinha sido vistoriada por uma equipe técnica do Ministério da Saúde. “Os técnicos analisaram a parte documental do projeto e atestaram que a unidade está habilitada na parte estrutural”, disse Neirijane quando tentava fechar uma parceria com os municípios de Aliança do Tocantins, Fátima, Santa Rita e Oliveira de Fátima para funcionamento da UPA.

O prefeito Ivânio Machado considera que auditoria é muito importante para o município saber a situação do futura da UPA.  “Com a auditoria em mãos, poderemos arquitetar estratégias para corrigir as irregularidades na área de saúde”, disse.  Segundo ele a meta deste início de gestão será buscar recursos junto aos Governos Federal e Estadual.  “Nesse primeiro momento o principal objetivo é correr atrás de recurso para colocar casa em ordem e pagar as dividas”.

Imagem mostra situação de abandono da UPA de Crixás em 2017. Foto: Rhonaldo Rhogery

Share on Facebook27Tweet about this on TwitterShare on Google+0
Tags:, , ,

Veja Também:

“Os comentários aqui postados são de inteira responsabilidade de seus autores, não havendo nenhum vínculo de opinião com a Redação ou equipe do Aliança News”.

Deixe seu comentário

Comente no Facebook

Entretenimento